Resenha: Meninas selvagens

Resenha: Meninas selvagens

Resenha 🌷⁣

#resenhameuromeo⁣

320 páginas //⁣ Rory Power // @galerarecord

Olá leitores, hoje trago a resenha do livro MENINAS SELVAGENS, que eu recebi em parceria com a Editora Galera Record.⁣

Há aproximadamente dezoito meses, a Escola Raxter tem sofrido uma transformação estranha. A princípio, somente as professoras foram atingidas, mas agora as alunas da escola também estão passando por transformações estranhas em seu corpo, o que levou à escola a entrar em quarentena.⁣

Ninguém pode sair dos limites da escola, pois pode ser perigoso.⁣

E então, a amizade de três alunas começa a ficar mais forte, a medida que essa doença misteriosa se alastra.⁣

Hetty, Byatt e Reese, tentam entender essas mudanças e o que está acontecendo de verdade, até que uma delas acaba desaparecendo.⁣

E então, Hetty tenta achar respostas sobre o que aconteceu com sua amiga, em torno de um colégio cheio de mistérios.⁣

🌷A história começa de uma forma muito interessante.⁣

Ainda mais agora que estamos passando por uma epidemia, o fato das meninas passarem por uma doença misteriosa e que não sabem o que de fato as ocasionou, nem o que ela pode fazer com elas, trouxe um pouco da nossa realidade.⁣

A princípio, eu fiquei super curiosa sobre como a autora desenvolveria a doença, bem como seus mistérios, porém, infelizmente acredito que a medida que a história foi fechando na metade final, ela acabou se perdendo.⁣

Como disse anteriormente, a ideia da história foi muito boa, mas infelizmente senti aquela sensação de “faltaram algumas páginas”.⁣

Achei o final corrido, sem muita explicação, e com algumas inconsistências na personalidades dos personagens que acabaram me deixando um pouco frustrada, já que achei a ideia inicial muito boa.⁣

Faltou um pouco de explicação sobre a doença, sobre os efeitos que ela ocasionava, bem como do que ela foi originada, e apesar de não achar que precisava ter explicações sobre a cura, o que eu esperava eram mais explicações sobre ela, até porquê ela está sendo estudada no decorrer da trama.⁣

Outro ponto que me incomodou e que até citei acima, foi que a personalidade das personagens mudou muito de repente, elas tinham uma forma de pensar, e em uma virada de página, parecia que tudo aquilo que elas pensavam, mudou sem uma explicação mais concisa.⁣

Não é um livro ruim, longe disso, mas tem estes pontos que me incomodaram.⁣

Eu sempre penso que a leitura é diferente pra cada pessoa, você só vai saber a sua opinião de fato, se ler. Então, mesmo com a minha opinião recomendo que leia e reflita sobre toda a história, até porque muitas vezes, você pode ter uma visão totalmente diferente da minha.

Resenha: Namorado Modelo

Resenha: Namorado Modelo

Resenha 🌷

#resenhameuromeo

378 páginas || Stuart Reardon e Jane Harvey-Berrick || @editorarecord

Olá leitores, hoje trago a resenha do livro NAMORADO MODELO, segundo livro da duologia Imbatível e que eu recebi em parceria com a Editora Record.

Após se aposentar do rugby com 33 anos, Nick Renshaw está um pouco perdido sobre o rumo que levará a sua vida.

Uma coisa ele tem certeza: sempre terá o apoio de sua namorada, Anna Scott.

Só que ele está um pouco depressivo, já que seus dias que antes eram totalmente voltados para o esporte agora são vazios, ele está totalmente “perdido”.

E quando um convite inesperado acaba surgindo, e uma nova profissão acaba tomando os seus dias, ele precisará ver se é isso o que ele quer, ou se às vezes o que tanto procura está bem ao seu lado.

🌷Confesso que quando eu comecei a ler esse livro, e vi já um casal de muitos anos de relacionamento (eles possuem 5 anos de namoro no início do livro), eu não sabia que este livro era na verdade uma continuação do primeiro.

Apesar de ser uma continuação, ele não me atrapalhou em nada na leitura, já que pareciam até histórias independentes.

A história é bem fluída…bem mesmo. Eu fui virando páginas sem parar, e nem percebia que já tinha lido tanto em tão pouco tempo.

Apesar de gostar das referências em relação ao esporte e ao mundo da moda, eu não consegui me conectar com o casal.

Não sei se talvez influenciada por não ter conhecido eles no primeiro livro, mas passei a leitura toda como se faltasse algo.

É difícil até explicar, mas em alguns momentos achei que faltava diálogo e emoção na história deles.

A realidade é que eu achava que um grande drama iria surgir na história, e criei essa expectativa, e quando não vi isso, fiquei um pouco chateada (e olha que nem gosto de drama), porque esperava uma grande reviravolta.

Eu ainda não conhecia a escrita dos autores, e apesar de achar a leitura bem rápida, a minha única crítica é que faltou mais emoção na história.

Apesar disso, o final foi bem fofo, e um grande destaque ao melhor amigo da mocinha, que sempre que aparecia trazia um tom alegre e bem humorado a história.

Então, se você já leu o primeiro livro recomendo ler a continuação da história, e se ainda não leu, acho interessante começar por ele, porque talvez tenha uma percepção diferente.

Enfim, espero que tenham gostado e que leiam para tirar suas conclusões.

Resenha: Amor em Manhattan

Resenha: Amor em Manhattan

Resenha 🌷

384 páginas || @sarahmorganwrites || @harlequinnbooksbrasil

Olá leitores, hoje trago a resenha do livro AMOR EM MANHATTAN, primeiro livro da série “Para Nova York, com amor” e que foi publicado pela editora Harlequinn.

Paige Walker é uma mulher extremamente determinada. E quando ela é demitida do emprego dos seus sonhos, ela fica muito triste.
E então quando vem a ideia de se juntar a outras duas amigas e criar uma nova empresa de organização de eventos e concierge, ela fica super animada.

Só que ser sua própria chefe nem sempre é tão fácil.

E quando o melhor amigo de seu irmão, Jake Romano decide ajudá-la, ela sabe que pode não ter um bom plano, afinal nutre uma amor não correspondido por ele há anos.

O que começa com um negócio de trabalho, acaba se tornando bem mais.
Só que Jake não quer saber do amor. Será que Paige será capaz de mudar esse conceito em seu coração?
⠀⠀⠀⠀
🌷Sou totalmente suspeita quando pego um livro onde o amor começou na adolescência, pois é um dos meus clichês favoritos.

A Paige sofreu muito na sua infância, já que teve muitos problemas de saúde quando criança, mas isso ao invés de torná-la alguém fraca, só a tornou mais forte e determinada.

O Jake por outro lado é aquele sonho de consumo para qualquer mulher: forte, decidido, fofo e totalmente apaixonante, mas que claro não quer saber nada sobre o amor.

É um livro que te tira da ressaca literária, justamente porque é um livro leve e que logo nas primeiras páginas, já faz você se apaixonar pela trama e pelo casal principal.

Não tem nenhum drama muito forte, o que eu particularmente acho ótimo, quando pego um livro assim. Afinal, nem sempre o leitor quer sofrer ou chorar quando lê um livro.

É clichê? É sim, senhor.
É apaixonante? Do início ao fim.
Tem final feliz? E como tem.
E não é isso que nós leitores de romances queremos? Então… se joga nesse livro e vem ser feliz.

LANÇAMENTO: O REI PERVERSO

LANÇAMENTO: O REI PERVERSO

A intrigante e sangrenta continuação do best-seller do new york times, o príncipe cruel. Vencedor do goodread choice awards 2019. para sobreviver no reino das fadas, jude duarte precisou aprender muitas lições. A mais importante delas veio de seu padrasto: o poder é bem mais fácil de adquirir do que de manter. Ela achou que, depois de enganar cardan para que ele jurasse obedecê-la por um ano e um dia, sua vida se tornaria mais fácil. Mas ter qualquer influência sobre o grande rei de elfhame parece uma tarefa impossível, principalmente quando ele faz de tudo em seu poder para humilhá-la e prejudicá-la, mesmo que seu fascínio pela garota humana permaneça intacto. agora, com as ondas ameaçando engolir a terra e um alerta de traição iminente, jude precisa lutar para salvar a própria vida e a daqueles que ama, além de lutar contra seus sentimentos conflituosos por cardan no meio-tempo. Em um mundo imortal, um ano e um dia não são nada. pré-venda acompanha conjunto exclusivo de marcadores de páginas.

Resenha: História de um grande amor / Júlia Quinn

Resenha: História de um grande amor / Júlia Quinn

Resenha 🌷

288 páginas || @juliaquinnauthor || @editoraarqueiro

Olá leitores, hoje trago a resenha do livro HISTÓRIA DE UM GRANDE AMOR, primeiro livro da trilogia Bevelstoke e que eu recebi em parceria com a editora arqueiro.
Resenha escrita pela colaboradora Kelly.

Mesmo aos 10 anos de idade, Miranda Cheever sabia que não seria nenhuma beldade.
Seu corpo era desproporcional, não possuía os cabelos e olhos que a maioria das meninas de sua idade, e por isso acreditava que jamais encontraria um marido apropriado.

Só que durante o aniversário de 10 anos de sua amiga Olívia, ela acaba conversando com o irmão dela, Nigel Belvestoke e seu coração bate descompassado a primeira vez.

Mesmo passando 9 anos do ocorrido, Miranda ainda nutre um amor em segredo pelo irmão de sua melhor amiga, só que agora ela é uma linda jovem de 19 anos, enquanto ele é um homem amargurado e que sofreu muito nos anos que se passaram.
⠀⠀⠀⠀
🌷Todo mundo sabe que eu sou apaixonada por romance, né? Pois é, eu me derreto toda.

Começo dizendo que a Miranda é uma personagem cativante. Possuindo uma inteligente sem igual, uma língua afiada e um humor refinado, ela se destaca não somente por sua beleza, mas também por seu jeito de ser, já que se tornou uma verdadeira dama.

Do outro lado temos Turner, um personagem que na primeira aparição me deixou apaixonada, mas que infelizmente no decorrer do livro me decepcionou um pouco.

Ele passou por um trauma, e até entendo que o trauma que passou pode justificar suas atitudes, mas achei suas atitudes muito extremas, ainda mais por algo que muitos já passaram e superaram.

Pra mim ele mudou demais, e não achei a justificativa tão boa, mesmo para uma história datada do século XIX.

O livro se desenrola com a Miranda sempre indo atrás do amor do Turner, enquanto eu sentia que ele não dava nenhum valor ao coração e a paixão que ele sabia que ela nutria por ele.

Mas entenda, é somente a minha opinião, pode ser que você não ache tão complicada a forma como ele tratava a Miranda e todos ao seu redor.